Pode uma cor determinar nossa orientação sexual? Muitos dirão que sim. Então:  o branco? O verde, amarelo, por exemplo, definiriam qual orientação sexual? Devemos lembrar, conforme a Doutora Jane Felipe, Professora titular da FACED/UFRGS (Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul), que antes da primeira guerra mundial havia poucos corantes para roupas e, os existentes, eram caros e só eram utilizados pelas classes sociais mais privilegiadas. Culturalmente o “rosa é para menina e azul para meninos” foi construído após a segunda guerra. Então não há sentido algum temer as cores utilizadas pelas crianças, pois não são elas que determinarão a identidade de gênero e orientação sexual dos/das/des futuros adultos! Chamo a atenção, também, para outra questão: meninos são muito mais vigiados quando tratamos do uso de roupas cor de rosa. Meninas, me parece, têm fronteiras mais fluidas para cores.


Escrito por Magnor Muller
Fundador e CEO da DGS - Consultoria em Diversidade, Gênero e Diversidade
Diversidade Gênero Sexualidade Diversidade Gênero Sexualidade Diversidade Gênero Sexualidade